segunda-feira, novembro 24, 2014

Nada a dizer

Algo que sempre me intrigou são os milhares ou milhões de acessos que têm os "n" blogs" por esse mundo da net. O dito escritor vive nababescamente escrevendo em um blog, com direito a patrocínio e tudo o mais. Já até ouvi falar sobre quatro milhões para uma cantora manter um blog. Mas como era coisa de patrocínio estatal, Petrobrás e tudo o mais, desconsiderei. 
Bom, tudo bem. Os escritores escrevem  e eu então, após longo tempo de curiosidade, resolvi entrar em alguns blogs, para checar tão fausto conteúdo que justificassem esses ganhos todos. Acreditem vocês ou não, não há conteúdo algum! Como é isso, como funciona isso?  
Eu aqui, que mantenho um blog há muito, muito tempo, sei que o tal custo de manutenção é zero. E eu bestamente escrevo sobre temas sobre os quais todos escrevem. Com um diferencial: uma visão um pouco mais abrangente e sem as paixões súbitas que despertam os interesses de patrocinadores. Minha visão de mundo patrocina o meu blog. Por isso os textos são longos: é demorado expor ideias.

Já os blogs que visitei por aí, funcionam mais ou menos como o Fantástico: de segunda até domingo à noite, eles anunciam "não perca, a Dilma falou uma asneira! Veja neste domingo, no Fantástico". Chega o domingo à noite, a chamada geral: nesta edição, assista "Dilma falou uma asneira". E passsam-se os blocos. Sempre anunciando: "ainda nesta edição, não perca, "Dilma falou uma asneira". Finalmente, ante de terminar o indigitado Fantástico: exclusivo, Dilma, nesta segunda feira, falou uma asneira!". E, pronto! está dada a notícia! 

Oras, cadê a notícia? Dizer que a dita falou uma asneira não é notícia. Anunciar cinquenta vezes pra dizer isso? Quero saber qual asneira! De qual dia? Pela manhã, à tarde ou à noite? E as outras, e os outros dias? Deveriam ao menos atualizar os pobres leitores, penso. 

Portanto, resolvi mudar a estratégia de merchandising do meu blog. Jamais ganhei um mísero centavo com ele. Miséria absoluta. Estou até pensando em me inscrever para o bolsa-escritor. Com o rendimento, $ 70,00,  vou passar à classe média. Da zelite. E, para me enquadrar, vou passar a dizer nada também. Bem que eu deveria ter ouvido John Lennon, desde 1967: "nothing to say, but it's OK!". E olha que ele vendeu mais de um bilhão de discos. Argumento de autoridade!

Se acaso amanhã você tentar acessar A Latrina e o seu PC ficar pensando, pensando, cair a conexão, como para declarar o imposto de renda, não se impressione: serão as milhões de visitas concorrendo para checar que eu nada tenho a dizer. E, mesmo que eu tivesse, parece que não vão mais deixar você ou eu dizer qualquer coisa. 
Boa sorte amanhã!