sexta-feira, maio 30, 2014

O que a Maria Chiquinha foi fazer no mato

Um mistério nunca esclarecido. Contemporâneo àqueles investigados pela Comissão da Verdade, causa estranheza tal importante fato ter sido relegado ao esquecimento. Teria sido ela sido sequestrada por terroristas? Será que ela foi torturada? Nada se sabe ao certo, muito embora tudo indica que ela tenha tido um caso fortuito com a dita dura. Porém, conforme se lerá adiante, parece que a perseguição durou pouco e ela não só foi perseguida e alcançada, como foi profundamente penetrada por ela, transtornando-a de prazer e gozo. Motivo suficiente para que a esquerda-caviar tache-a de uma maldita conservadora e reacionária de direita. Eles se especializaram em exploração a mania de perseguição e muitos frutos têm obtido. Razões que talvez expliquem porque até hoje não se saiba ao certo o que é que a Maria Chiquinha foi fazer no mato. 

Nada se sabia, entretanto! Encontrado durante as escavações nada-arqueológicas de um túnel feito sob um presídio de segurança quase-máxima, um relato do que exatamente aconteceu com a famosa e furtiva escapadela da Maria Chiquinha. O relato será transformado em livro e filme, com todos os direitos autorais direcionados como doação ao Partido dos Trabalhadores, dado que os fugitivos recapturados eram todos filiados de carteirinha do mesmo. Apenas restou um, ainda foragido e chefe do bando, que não deu importância ao achado de tal Relato, dado que não sabe ler. E tornou-se famoso, sendo a única pessoa no universo a ser entrevistada para revelar que não sabe, não sabia e nunca soube de nada. Usualmente somos entrevistados por algo que sabemos. O tema será também explorado na novela das oito, onde será exertado um dramalhão digno do naturalismo flauberiano e a dondoca que seduz um menino de onze anos será paradoxalmente patrona de uma lei que protege os menores contra abusos sexuais. Esse contexto ocorre em um país esquisito, que precisa conter atos terroristas, mas o impedimento é que, quem sanciona as leis é uma deles. E ninguém corta o galho em que está assentado. Portanto, não tente entender. Leia e entenda apenas o relato, que é mais factível que toda essa realidade grotesca. 

Em respeito à propriedade intelectual, dê-se o crédito a um evento criado no Facebook, para analisar o assunto, uma


Obviamente participarei da Mesa, muito embora o tema sugira e eu preferisse uma cama, Redonda, com a Tese que se apresenta e é o relato das coisas como ocorreram. Como diz o ditado: quem rouba de ladrão o Lewandowski e o Dias Toffoli mandam soltar. Como o Negão pediu estranha e repentinamente  sua demissão, agora já não mais se praticará a afronta de se exigir respeito às leis. A lei agora é "cada um faz o que pode". Eu farei o relato.

Tese: o que é que a Maria Chiquinha foi fazer no mato?
É tudo para mexer com o imagenaro popular e pôr lenha na fogueira.
Na real, o que aconteceu com a Maria Chiquinha foi uma somatória de coisas todas que ocorreram lá pelos idos da década de 60 do século XX. Portanto, não se escandalizem as feministas, os adeptos das 177 orientações sexuais, os defensores dos variados direitos e tudo o mais. Ainda não vigia o politicamente correto, mas a Guerra Fria. A única coisa quente foi o caso cujo relato ainda está por iniciar.

Começando pelo final, o ansioso perguntador Genaro morreu e foi para o Céu, compôr a constelação de Capricórnio, já que por uma absurda discriminação facista, não existe uma constelação dedicada ao Unicórnio. Nas noites sem lua é quando ela aparece e resplandece, para o doce deleite das virgens que passeiam solitárias, fazendo as delícias do boto-cor-de-rosa. O simpático e ansiado golfinho de antanho parece que deu lugar aos estupradores, com todo o povo alegando que ele age por culpa das donzelas, dado as suas exíguas vestes desnudando o pobre do colo uterino. Eventualmente são linchados até à morte.   

Ela realmente tinha um celular da Tim, que era igual a ser di menor no brasil: pode fazer de tudo que nunca pega nada. Então ela foi passear no bosque. Passando sob uma árvore, e sempre tentando conseguir sinal para mandar um torpedo, aproveitou pra catar um coquinho que alí estava caído. Assim, no melhor estilo Napoleão, bateu um forte vento, que levantou a sua saia. Nesse momento, um bicho-preguiça, parecido com o Macunaíma, que estava pendurado na árvore caiu. Na queda, ele desesperado esticou a pata, fazendo com que se abaixasse a calcinha da pobre. Com isso, afloraram as vergonhas esvoaçantes e saradinhas à mostra e arrebitadas de Maria Chiquinha, tanto o asterix quanto a iracema dos grandes lábios sabor de mel com pimenta malagueta, verdadeira Ursa Maior esfomeada , embora depilada no design maria chiquinha. De longe, um andarilho maníaco conhecido como Don Quixoxote, que vagava pelo bosque, veio com a sua enorme lança, a toda. Mas o burrinho dele não consegui frear a tempo. E o torpedo foi enviado, já que naquele ponto havia sinal de conexão com o satélite perdidão das operadoras. E aí foi jamelão pra todo lado! Quando o lobo chegou já era tarde e ele teria que se contentar com a sopa, que acabou levando pra vovozinha, porque ela usava dentaduras, tirando-as só para a felação e para dormir. A dita dormia num copo-com-água. A dita dentadura, não a vovozinha. Maria Chiquinha já então descansava na pança do Sancho, fervoroso ervangélico, que fumava um bequezinho de maconha uruguaia pós-prandial. Por isso correu o boato: se ela estava na pança era porque o Sancho havia comido a rapariga. Mas não há provas e tudo não passa apenas de intriga da oposição, o que fundamenta apelar com embargos infringentes. 

Steve Jobs, um estudante desocupado, verdadeiro inútil, ficou sabendo da estória. Inspirado pela lambança, pegou a cândida Apple criada pelos Beatles, deu-lhe uma bela mordida e inventou uma geringonça para mandar mensagens. Reverenciando John Lennon, escreveu: all you need is love. Acontece que apareceu a primeira falha, pois o corretor automático escreveu: all you need is fuck. Isso mudou novamente o mundo: a proposta era que o coração era o centro das soluções para as mazelas do mundo. Após a mensagem, ficou entendido que o centro de tudo estava mais embaixo, um buraco negro, ávido por preenchimento. Por isso ele deu o nome de i-phod a sua brilhante invenção. No Brasil, dado à xenofobia e ao moralismo exacerbado de antigos devassos, o brinquedinho recebeu o esdrúxulo nome de i-pod. Por isso o sonho acabou. Mas pelo menos explica a continuidade da estória. 

No meio de todo esse imbroglio, o celular havia caído e acionado a câmera, que filmou tudinho, tudinho e acabou sendo postado no youtube. A playboy de imediato contratou a Maria Chiquinha. Ela conseguiu ler o Pequeno Príncipe, porque o download do ebook demora uma eternidade, e decorar algumas frases de efeito, para as entrevistas com a mídia. Muito embora só permitam que ela diga "bomdi". O sucesso do make of, com fotos no Instagram com alguns pontos de censura e devidamente aperfeiçoada pelo photoshop, foi tamanho que até criaram um movimento, com direito à Manifestação na Paulista, todos com nariz de palhaço: "Não vai ter copa". E não vai mesmo! Aproveitando o Dia dos Namorados todos estarão no quarto, com o Prometeu futricando a Caixa de Pandora, liberando e se esbaldando no fogo que resulta do contato do torpedo com a atmosfera da prometida. E esse será o título da novelinha: A Prometida.  Todos nos embalos amplamente veiculados em horário nobre pela rede bobo, substituindo o encerrado big brother. Reserve o seu exemplar da revista. Mas não leia só as reportagens, veja também as fotos. Faça como todos estão esperando da Seleção: não perca!

quinta-feira, maio 22, 2014

Amor, estranho amor

video


Eita país esquisito esse nosso Brasil!
Tem jeito não. A única saída é mesmo o Aeroporto de Cumbica.

Senão, vejamos:


O Muro de Berlim caiu, e já faz tempão. Então, a diversão mundial não é mais polarizar entre Capitalistas x Comunistas. Em substituição, a premissa da postura politicamente correta, colocando um cidadão contra o outro, desviando o foco do que realmente interessa e funciona. Todos contra todos: eu nem comecei a escrever ainda e já tem um monte de leitores com pedras na mão, a me lançar chistes e clichês. Mas, continuemos, pois sou duro na queda.

Falaram que a maldita Ditadura mandou matar o Juscelino. Criaram uma Comissão de Meia-Verdade para investigar. Eles mesmos investigaram e concluíram que não, que foi acidente mesmo (em uma estrada, terreno descampado, um cidadão, o motorista,  levar um tiro, contando que ele, morto, bateria o carro, para atingir o passageiro, JK, que teria ferimentos tão graves a ponto de morrer.  Nem a Lei de Murphy conta com tamanha soma de eventos. E depois ainda criticam a Teoria da Conspiração...). Ah, não foi morto não? Então vamos fazer uma homenagem especial. E assim vai. Daí, o zé-brasileiro pergunta: tanta gana em investigar as coisas de meio século atrás, porque é que não investigam as coisas atuais, do Aqui e Agora?

Fizeram uma lei, do INSS que, se o indigitado cometer um crime, a família passa a receber uma certa pensão. Tudo bem, se pensarmos em seguro privado. Mais tudo bem ainda, se pensarmos que  bandido não recolhe inss como autônomo. Mas, sendo estatal, significa que alguém que teve um seu parente morto, que era o esteio econômico da família, vai ter que trabalhar para dar dinheiro para o Estado manter o cidadão preso, ao custo  mensal de US$ 2.000,00 e de quebra, pagar a pensão para aquela família do assassino. E nem tem direito à assistência dos defensores dos direitos humanos. Estão ocupados lá com o bandido. No Brasil, chamam isso de Justiça. Eu corrigiria para Idiotícia. 

Por outro lado, criaram uma lei para apenar os militares da terrível ditadura que cometeram crimes, isso há 50 anos atrás. Além das penas já previstas criminalmente, eles terão as suas medalhas cassadas (eu diria caçadas) e a sua aposentadoria suspensa, anulada.  Daí a pergunta de um zé-brasileiro: mas se ele é condenado, e, segundo eles mesmos, criminoso ele  não deve receber do mesmo inss uma pensão, conforme o criminoso do item imediatamente anterior?

Ainda: pela leis brasileiras, o criminoso com mais de setenta anos não deve cumprir pena em regime fechado. Daí o zé brasileiro pergunta de novo: ora, os tais malditos militares, todos eles hoje têm mais do que 70 anos (ou oitenta, ou morto). Para quê então mobilizar todo um aparato, para julgar e condenar um cidadão? Apenas para ser bonitinho? Será que o Judiciário já não trabalho tem o suficiente ou os caras estão lá, fazendo nada?

Mas a criatividade na caça-às-bruxas e no politicamente correto não tem fim, não. Existe também o Direito ao Grito (paralelamente temos a Lei da Mordaça, para alguns que poderiam falar alguma coisa), que consiste no seguinte: foi julgado e condenado? Sim. É pobre, miserável ou da oposição? Sim. Cadeia neles! Dura lex sed lex. Não? Ah, então é amigo. Amigão. A sentença  tem embargos infringentes e o diabo-à-quatro. Ou, simplesmente volta, no Grito, para que o Juiz refaça a sentença: está preso? Solta! Está solto? Esquece, porque prescreveu. Sendo político, deve ser julgado pela instância máxima. Se condenados recorrem a algum Tratado Internacional que não tiveram uma segunda instância para recorrer. E isso caracteriza cerceamento de defesa. E não adianta argumentar que instância máxima é máxima. Senão, não seria máxima, seria "sub-máxima". Para que não sejam condenados, colocam juízes, para dar a conta do 6x5, inocentando-os indefinidamente. Sem contar, é claro, que ele vai acionar o Estado por calúnia, injúria, difamação, cumulado com danos morais, lucros cessantes e tudo o mais. Você vai pagar isso, também.

O turismo sexual no Brasil gira mais dinheiro do que toda a Cote D'azur. Tem até propaganda de cartão de crédito, onde o turista pergunta pra linda morena se ela aceita cartão. E ela insinua que sim. O mundo inteiro sabe que ter como o destino o nosso lindo país tropical, será para encontrar... o Cristo Redentor? Não, não. Ele está apenas apontando o mar, a areia, e ... uma lindíssima e bronzeada bunda brasileira com um biquíni, com o perdão da chula palavra, cuadentro. Não sou quem  está dizendo: é o que estampam os cartazes brasileiros oficiais, espalhados pelas empresas de turismo, mundo afora. Turistas não vêm ao Brasil em busca de cultura(?), tecnologia (?) ou qualquer dessas inutilidades. Tão inúteis que nem mesmo existem para serem visitados e conhecidos. Então, sobrou o quê? Ah... agora tem Copa do Mundo! Então os cartazes mostram o evento, claramente: duas bolas, superpostas.

Resolveram fazer uma Lei, quando já existem outras, para o abuso sexual de menores. Tudo bem, mesmo sabendo que nessa barafunda de leis, a antinomia corre solta. Agora, a Xuxa apadrinhar a dita lei é chamar o brasileiro de idiota, descaradamente. Será que não vai haver um grupo que vai pra Paulista protestar contra isso, colocar nariz de palhaço e tudo o mais? Valha-me meu São Francisco! 

Perguntaram ao Chico Buarque, há longo tempo atrás, se ele tinha o dom da premonição e/ou da clarividência. Ele disse que não, que apenas o Brasil era muito previsível.  Por isso eu gosto de escrever sobre os desmandos, mazelas e absurdos genuinamente nacionais. Não é preciso inspiração e nem mesmo criatividade. Como os mais próximos costumam me achincalhar, como sendo a reedição do Boca-do-Inferno. É só esperar o dia de amanhã. Valha-me meu São Francisco! 

Mas os petistas amam o pt. Os lulistas amam o mula. A esquerda se adora. Amor, estranho amor. 

Ah, e eu vou ali, que ouvi a chamada "atenção senhores passageiros, com destino a um País Decente...". 

sábado, maio 17, 2014

Brasil x China: a goleada

A China começou a sua "ditadura" ao mesmo tempo que o Brasil. Priorizaram a Educação e o Trabalho. No Brasil, os vagabundos e "gérsons" combateram essa proposta horrorosa sob o clichê de "democracia" e ganharam. Hoje, 50 anos depois a China, comunista de Estado e Capitalista de mercado, que afronta todos os direitos humanos colhe seus frutos. E nós, os nossos. Somos um país democrático e um Estado de Direito, o que quer que isso signifique. E nem podemos reclamar, pois exercemos o sagrado direito do voto como obrigação, escolhendo os feitores do nosso imenso latifúndio.
A Constituição: todo brasileiro tem direito à moradia digna
A Constituição:todo brasileiro tem direito ao trabalho
A realidade: é dando o voto que se recebe a bolsa-família
A moça da foto não é "culpada" de nada, mas o retrato do nosso resultado. Ao invés de Trabalho, a política de Estado é premiar o ócio. O usuário de  (uma) droga é tratado (com várias), para voltar a consumir mais. Na China, um aviso  "tráfico: pena de morte" elimina traficantes, não havendo, portanto consumidores. Não há recursos ou embargos infringentes. E o condenado ainda tem que pagar pela bala. Não há quem possa ser contra qualquer política estatal de "ajuda aos cidadãos de segunda categoria". O que se condena é trocar isso por um voto. A melhor ajuda é oferecer trabalho  

Eles optaram por ser "quintal de produção" norte-americano, mas apenas de fachada: copiaram o modus operandi, o sistema de governo e o regime de Estado, retrocedendo ao que Montesquieu ensinou e os americanos executaram tão bem, inicialmente. Ou seja, foram a "mão invisível" que corrige o sistema capitalista. O "salário aviltante" que se condena é pago pelas empresas norte-americanas. Fazem a Barbie, por 1U$ para que seja vendida nos EUA por 500 dólares. Mas vendem a sua Sarbie, Marbie ou qualquer outra variação e a vendem por dois dólares. Burros? Com essa burrice, hoje são credores dos yankees e do mundo. Direitos autorais, por quê? Gutemberg trouxe a imprensa da China. E não pagou direitos autorais. Os portugueses trouxeram o "os encantados astrolábio, bússola e pólvora" da China. E não pagaram direitos autorais. Os "nossos filósofos" foram beber da Sabedoria no Oriente. Voltaram com muitas ideias e novidades, que embasaram o que se chama hoje de "cultura ocidental". Algo assim, como o Caetano Veloso que foi aos EUA e aprendeu o "or not" (ou o Oswald de Andrade, que trouxe ao Brasil a Arte Moderna feita em Paris, 30 anos antes). Voltou o Brasil, mas não contou o pequeno engodo. E eternizou-se como o genial criador do "ou não".  Aristóteles, Sócrates, etc, idem. Aos brasileiros é difícil contar isso, pois alegam que o Sócrates jogava muito bem e que só não fomos campeões porque o zico-errou-o-pênalti. . 

Sabemos todos que a essência do Capitalismo é a produção em massa, a ser consumida barata e acessível, sem qualquer imposto. Para que o cidadão, todo o cidadão, tenha acesso ao conforto que se possa comprar. Isso gera empregos e todos tem dinheiro para consumir. Caso um cidadão queira exercer o seu direito de enriquecer vendendo produtos, cria-se a figura do "empresário". E, nesta condição, será taxado com o imposto sobre a renda. Uma opção da riqueza sem culpas, por meio do trabalho. Você pagará muito, mas sempre será obviamente uma menor porcentagem do que se ganhou com a opção de gerar riqueza, além de consumir. E isso vai sustentar todo o aparato estatal e também o sistema. Isso funciona? Os EUA mostram que sim.

Para um país que elegeu, de cima para baixo, o Trabalho e a Educação como totens do sistema, a corrupção é rejeitada, tanto pelo Estado quanto pelo cidadão. Existe a corrupção? Claro que sim, já que isso é inerente ao ser humano. Mas o corrupto é "induzido" ao suicídio, pois não há espaço para ele, pela rejeição geral. No Brasil, a corrupção é premiada. Colocam ministros no STF para os livrarem de todo o mal. Não há brasileiro cujo sonho não seja o de descolar uma boquinha, inicialmente como colaborador e depois da pós-graduação, um Doutor Honoris Causa em Corrupção. Toda lei editada tem quatro aspectos básicos: dar muito dinheiro para um grupo de amigos; apagar o fogo (leis para eventos de agora); abrir brecha jurídica para posterior defesa e perpetuar a corrupção. (morte no trânsito? Vamos importar milhares de bafômetros; câmeras para provar; endereço fixo como atenuante da pena -até morador de rua tem; e, sempre e sempre a caixinha pro guarda para o acompanhante soprar o bafômetro. Pena: uma cesta básica E, claro a atuação dos direitos humanos para quem matou. Para a família de quem morreu, a Justiça de Deus. Done!). 

A opção da China foi lançar-se ao futuro, como líder. A opção brasileira foi retroceder, ou permanecer "retrocedida", aos idos de 1400, com as nossas capitanias hereditárias e sesmarias que ainda hoje vigem nos nossos estamentos de propriedade. Quando a única transação comercial da cidade, ou da região em dezenas de anos era a união de propriedades devido ao casamento de um príncipe com uma princesa. Todos almejando obter alguma vantagem, no beija-mão do nosso monarca, que agora apenas tem outro nome. Nossa herança católica portuguesa nos alijou dos valores do Capitalismo, mesmo que ainda incipiente O (seu) lucro é passaporte para o fogo dos infernos. (Deixe-o conosco, a máxima da Igreja) Saltamos também. Mas não para o século XXI. Saltamos, ou fomos atirados, ao século XIX, sob os auspícios de Marx, um delirante consumidor de ópio, com suas disparatadas ideias de igualdade de todos. Um belíssimo discurso, com a ressalva de que é só discurso mesmo. Geralmente regado à champanhe francesa em alguma cobertura de um condomínio de alto luxo. A busca da igualdade é um canto de sereia, já que, desde o início, a própria Mãe-Natureza nos fez diferentes, para continuarmos sendo diferentes. A Natureza não concede bolsas nem cotas. Feliz é o povo que se reuniu em um Estado que os considera a todos igualmente como cidadãos. Apenas isso. Como cidadãos, somos e temos que ser e ser tratados, absolutamente iguais. Fora isso, na vida privada e íntima, o que se faz não interessa a ninguém, em absoluto. Pouco importam seus pensamentos, a cor da pele, o modelo "in natura" da sua genitália ou o que pretende fazer com ela. Entes naturais personalíssimos e, portanto diferentes; muito embora cidadãos idênticos.

 A China, como insistem e teimam e afirmar os losers de plantão, paga baixos salários. Digamos, $100. O Brasil não. O Brasil paga, diga-se, 200. Só que 120 fica com o Estado. Os seguros, necessários, ficam com 30. E o ladrão leva os 50 que sobraram. Ou, como na atualidade, a sua vida junto. Eventualmente esquartejado Estudantes chineses estudam com uma agulha injetando alimentação, para não "perderem tempo em almoçar ou jantar", para passar nos seus dificílimos vestibulares. Já no Brasil, não. Aqui temos cotas para negros, para pobres, para índios, para mulheres, para a terceira idade, cartilhas ensinando sexo para crianças de 6 seis anos, auxílio para desempregado continuar desempregado, "traduzem" Machado de Assis e o Hino Nacional porque são muito "difíceis". Um analfabeto editou (e assinou com a digital do polegar) uma esdrúxula nova ortografia que ele desconhece para a sofrida última flor-do-lácio (duvidando, leia em voz alta:  delinquente questão, linguiça, preguiça... e tanto mais). Depois, o estudante, que se for mulher agora é estudanta, vai para o mercado de trabalho: você é candidato ao cargo? Resposta: cim.

 Eles não fazem política de boa-vizinhança, não perdoam para cmpara amigos miseráveis, ignoram quase por completo o que chamamos de "mundo ocidental", ONU, Tratados e etc. De nós, de olhos puxados (para cima) eles só querem o dinheiro, mais nada. No caso do Brasil, querem as commodities, como Portugal queria o pau-brasil. Nada mudou. Especializaram-se em dar Educação às crianças e Trabalho aos adultos. Simples, bem simples. E, seguindo à risca os ensinamentos de Montesquieu, não há partidos, há governo. E não há votos, pois o povo é ignorante e não sabe votar. Pelé disse, mas Montesquieu já o havia feito. Um povo ignorante, rico, próspero e educado. Eles não tem uma Constituição cidadã, exemplo para o mundo de como escrever uma ficção nunca posta em prática. Eles não têm Estatuto do Adolescente, pois a única regra é: ele deve estar, e está,  na escola, protegido e recebendo educação.Os que preferem cometer crimes, pouco importa que idade tenham, são criminosos. E a pena para crimes contra a Vida é sempre a morte. Na China, a longa Constituição deles, diz que a Vida e o Estado são sagrados. A Vida cria o Estado, que a protege. Atentando contra qualquer um dos dois, atenta-se contra os dois. Por isso, está fora do jogo e deve ser excluído. Ponto. Se atentar contra o patrimônio, tem que simplesmente devolver. E ficar sem a mão que praticou o furto. No Brasil temos prisões, abarrotadas de pobres e pretos. Aquele que matou o seu filho para roubar $1 ficará preso e você terá que trabalhar para sustentá-lo na prisão.  Mas no dia das Mães ele receberá indulto, para ir visitar... e matar também a mãe. Já se você não for pobre nem preto, pagará uma cesta básica e irá viver em Paris, com o fruto dos bilhões que você roubou do Estado e, claro, não devolveu. E ainda fará palestras sobre como realizou isso.

Já bem dizia Voltaire que a Democracia é  uma instituição que só funciona para anjos. Aristóteles afirmava que a Democracia era um sistema ideal para países com até 100 mil habitantes. Como temos um pouco mais do que isso, o que vige é a lei do que "cada um faz o que pode". Políticos expoliam o Estado, cada um sonega o quanto pode, o "sem sexo" estupra e mata e o povo mata o matador. É o demo girando no meio do redemunho. Democracia é receber educação e ter acesso ao trabalho; direito é aquilo que se pode até chegar o limite do outro. E, para todos, um mínimo de vergonha na cara, pois colocar nariz de palhaço e ir pra Paulista manifestar nada mais é do que teatro de fantoches.

Na China não há lindas praias, as chinesas não tem a deliciosa bunda brasileira e eles jogam muito mal o futebol. O Neymar deles é a Educação e o Trabalho. Nunca foram campeões do mundo e nunca sediaram uma Copa.  Mas dão de goleada no Brasil.


terça-feira, maio 13, 2014

Tião Viana para Presidente!

No Roda Viva deste 12 de maio, o entrevistado foi Tião Viana, governador do Estado do Acre (que eu, ignorante que sou, não sabia).
Ele disse que o Lula foi um Presidente fantástico e que a Dilma é excepcional e que está fazendo um  excelente governo.
Disse que a Dilma voou por todo o Estado para assistir, lá do alto, toda a tragédia causada pelas enchentes.
Disse que as pontes sobre os rios são construídas em um nível acima dos atingidos nos últimos 60 anos, mas que a cheia atual superou até a  marca da maior delas, ocorrida em 1914. O problema fica no Peru, não sendo possível ao Brasil e ao seu estado fazer nada.
Disse que no Acre não há corrupção e que ele trabalha com transparência. Os seus dois sobrinhos, também Secretários de Estado, condenados por corrupção não conta, pois ainda não há o trânsito em julgado e que eles entrarão com  Embargos Infringentes, um direito de todos os cidadãos.
Disse que o Estado está em franco processo de industrialização, já tendo uma empresa lá se instalado, gerando cinquenta empregos.
Disse que recebeu muito bem os 3000 haitianos na cidade de três mil habitantes e que todos tiveram assistência médica da melhor qualidade, abrigo e vestimenta. Os habitantes e os haitianos. E que toda a farta documentação necessária ficou toda pronta no mesmo dia em que chegaram. Não entendi direito quando ele falou sobre os "demais países africanos". Vou dar uma checada no Google aqui. Pode ser que esteja havendo uma manifestação "Volta, Pangeia!" e eu não esteja sabendo.
Disse que o Acre é o Estado brasileiro que melhor distribui as suas verbas, absolutamente dentro da lei de responsabilidade fiscal.  
Disse que a Administração do Estado tem sido excelente, o que é fruto da continuação das melhorias iniciadas no mandato do seu antecessor.
********************
E nós aqui em São Paulo, passando todo esse sufoco? Cadê que o Peru não manda água pra Cantareira? Cadê que os mosquitos estão causando uma epidemia de dengue? Acho que eles todos vieram pra assistir à Copa do Mundo, não é possível! E toda essa corrupção que grassa solta por aqui, parece que só em São Paulo? E os partos ocorrendo nas calçadas porque os hospitais não acolhem quase ninguém? E os médicos cubanos receitando "que você tenha fé em Deus"? E a Imobilidade Urbana? E o festival de balas perdidas, matando mais do que todas as guerras do mundo? E a Segurança de que se será assaltado ou morto ou as duas coisas? E as meninas sendo encoxadas no metrô?
Todo esse estado apocalíptico assolando o Estado de São Paulo! À exceção da Capital, que vive momentos melhores do que o Acre?
****************************************
Por isso, pressupondo que tudo o que ele disse é a mais cristalina verdade, digo eu: que o Tião Viana seja então o Presidente do Brasil! No primeiro ano de governo, ultrapassaremos o PIB norte-americano. No segundo ano, a China. No terceiro, todo o restinho de mundo que sobrar. O quarto ano será reservado para ultrapassarmos a Ilha de Barbados, que nos deixou em 39º lugar em educação. Eram 39 na lista. 
Depois disso, claro, a reeleição. E, no segundo mandato, o Planeta Terra será nada mais nada menos do que "a Grande Brasil", países-satélites desse nosso gigante.
******************************************************
Mas aí, o sonho acabou: fiquei sabendo que ele é do PT. Bem que eu estava reconhecendo o discurso. Quase que ele me enganou!